Poesía española

Poemas en español


Dikt Café

En la noche busco refugio en tus ojos. No recuerdo si pasan las horas. Es siempre difícil encontrarte, porque ya no estás allí donde la noche anterior. ¿Por qué han huido los abrigos? Tus ojos me protegen del mundo, incluso cuando me ves como una muerta silenciosa. Todos los riscos danzan y no se puede morir sino cantando. Pero cuándo te busco ya no estás. ¿Qué amparo pretendes, si encontrarte es tan delicado cual morir? Siento tus dedos descifrando la muerte en mi cuerpo. No protegí el refugio como debía. Hay una nueva noche encantadora y distante de ti. Mi mirada atenta al toque de tus dedos. No busco sino placer en el espejo. Me recorro indefinidamente, por donde andarías. No importa la distancia: nos escribimos, uno en el otro.

Traducidos al español por Benjamín Valdivia

CAFÉ

À noite busco refúgio em teus olhos. Não recordo se passam as horas. É sempre difícil encontrar-te, porque já não estás ali onde na noite anterior. Por que são fugidios os abrigos? Teus olhos me protegem do mundo, mesmo quando me vês como uma morta silenciosa. Todos os riscos dançam e não se pode morrer senão cantando. Mas quando te procuro já não estás. Que amparo tu pretendes, se te encontrar é tão delicado quanto morrer? Sinto teus dedos decifrando a morte em meu corpo. Não protegi o refúgio como devia. Há uma nova noite encantadora e distante de ti. Meu olhar atento ao toque de teus dedos. Não busco mais apenas prazer no espelho. Percorro-me indefinidamente, por onde andares. Não importa a distância: nos escrevemos, um no outro.


Dikt Café - Floriano Martins